7 curiosidades sobre minhas experiências em Santiago, no Chile

Fiquei aproximadamente um mês no Chile e uma semana em Santiago. Consegui observar algumas particularidades por lá. Também conheci alguns costumes da capital chilena e do país em geral.

A beleza natural vista do avião

Confira abaixo 7 curiosidades dessa minha viagem:

1 – O abacate é usado como um alimento salgado. Os chilenos comem com bolacha de água e sal e não têm o costume de fazer uma vitamina como nós fazemos.

2 – O espanhol do Chile é considerado um dos mais informais pelos próprios chilenos. Eles sabem que estão muito distantes das regras da língua na fala. Para mim, o espanhol deles é um dos mais difíceis de entender, depois vem o espanhol da Argentina.

Vista do apartamento em que me hospedei em Santiago, no Chile

3 – Em uma estação de metrô no centro de Santiago, existem duas linhas que passam na mesma plataforma, ainda que elas vão para lugares diferentes. Então é preciso prestar atenção para onde está indo o trem quando você estiver esperando no metrô. Não me lembro exatamente a estação que esses dois trens distintos passam.

4 – Na época em fui para lá (2016), o ônibus rodoviário de Santiago para o litoral de Valparaíso, custou apenas R$ 10,00. O trajeto dura em torno de uma hora. Eu paguei mais caro no Uber (R$ 35,00) do centro até a rodoviária de Santiago.

Centro de Valparaíso, no Chile. Um lugar bem artístico e cheio de movimento turístico

5 – O centro de Santiago está completamente fechado no domingo, não tem nada funcionando.

Centro de Santiago. Gostei de passear por lá, tem diversas opções culturais como museus e exposições na região

6 – Tenho uma amiga chilena que mora em Santiago e se chama Mari. Nos conhecemos em Mérida, no México. Essa é a única amizade do Chile, que não conheci lá, que tenho contato até hoje. Eu amo essa minha amiga.

7 – A minha anfitriã do Airbnb em Santiago não era chilena, era venezuelana e me fez uma arepa para comer, uma comida típica da Venezuela.

Nunca havia imaginado comer algo típico da Venezuela em Santiago do Chile

Ilha Cozumel, no México – Parte 1

Quem não gosta de uma ilha paradisíaca? Cozumel, no México, a aproximadamente 35 minutos de Playa del Carmen, é um local visitado por muitos turistas.

Quem chega em Playa del Carmen consegue encontrar diversas empresas que fazem o percurso de ferry, a mais barata é a México. Quando fui, paguei 90 pesos mexicanos para a ida e volta (quase 18 reais ao todo).

O dia em que fui não estava com muito sol

É importante prestar atenção no último horário de volta de Cozumel para Playa del Carmen às 20:00 hs, e o penúltimo volta às 18:00 hs, ou seja, são duas horas de diferença. Eu perdi o horário das 18:00 hs e acabei tendo que esperar o próximo.

Monumento de aves que fica próximo ao porto de chegada da ilha
Essas carruagens parecem vindas de um conto de fadas para um passeio real romântico com alguém qualificado para a vaga

Quem vai para Cozumel, antes de mais nada, precisa saber que as praias não estão perto do porto. Andar vai tornar o dia bem cansativo, por isso, alugar um carro ou uma bicicleta é indispensável.

Fui numa loja perguntar quanto era o aluguel de uma bicicleta e na época custava $ 150 pesos o dia todo (R$ 30,00). Um carro para quatro pessoas o dia todo estava em torno de $ 200 pesos para cada um (R$ 40,00), fora o combustível. Para quem quiser ver mais praias, é recomendável visitar Cozumel com mais pessoas para alugar um carro e passear tranquilamente sem pressa e sem perrengue.

Aqui abaixo vai uma empresa que faz o aluguel de veículos. O local dessa agência é numa rua à esquerda da torre do relógio, bem visível, que fica na praça principal. Não peguei o nome da rua, perdóname.

As melhores praias ficam na parte contrária do local do porto em que você chega. Então amigos, não faça como eu, e não vão para a Playa Azul a pé. Acho que uma bicicleta, para quem não está acostumado com a distância e com o calor, vai exigir bastante do condicionamento físico. Se você tem essa preparação, só vai 😉 Acho que preciso ir outra vez para Cozumel para aproveitar as praias de verdade.

Variedades de comércios e restaurantes ficam no centrinho perto do porto de chegada

O centro de Cozumel é totalmente variado, tem lojinhas com lembranças, restaurantes e hotéis. O lugar é bom para fazer compras. Comprei um chaveiro como lembrança da ilha.

Centrinho da ilha Cozumel perto da torre de relógio na praça principal

Curtindo a praia das Gaivotas em Floripa

A alguns minutos do centro do bairro dos Ingleses, no norte de Florianópolis, fica a praia das Gaivotas. Lá você pode encontrar uma faixa de areia mais extensa do que na praia perto do centrinho do bairro. As ondas são um pouco mais agitadas, mas nada que impeça de curtir o mar. A areia é clara e a água é transparente, mas isso vai depender do dia. A temperatura do mar pode ficar um pouco fria, porém não atrapalha os mergulhos, ainda mais se o sol estiver rachando.

Em um domingo, fui lá com a minha mãe aproveitar a praia. Como o dia estava de sol, então curti bastante. Se você não vai levar um guarda-sol, o preço do aluguel é de R$ 10,00 até as 18h00. Aluguei um e fiquei até umas 15h00. Já estava com as cadeiras de praia.

O domingo estava de sol, céu limpo, então aproveitei para tirar um foto na beira da Praia das Gaivotas

Caso você deseje ir caminhando do centro dos Ingleses até a praia, vai levar cerca de uns 20 minutos. Se pegar um Uber, é rapidinho; uns 6 minutos. Eu fui de Uber de casa até as Gaivotas.

Gosto de tomar bastante sol e garantir a vitamina D. Curto me queimar, mas passo bastante protetor e hidratante para não descascar

Se você for comprar alguma comidinha ou bebida na alta temporada (de dezembro até meados de março), prepare o seu bolso. Uma água de coco custa R$ 10,00, enquanto um açaí médio R$ 15,00, se for no crédito, pode ter alguma taxa. Levei algumas comidas de casa, então não gastei quase nada na praia mesmo, só tomei o açaí.

Nada melhor que apreciar a natureza na beira do mar

O dia foi bom demais nessa praia de Floripa

Essa foto foi tirada debaixo da sombra do guarda-sol