7 curiosidades sobre minhas experiências em Santiago, no Chile

Fiquei aproximadamente um mês no Chile e uma semana em Santiago. Consegui observar algumas particularidades por lá. Também conheci alguns costumes da capital chilena e do país em geral.

A beleza natural já ser vista no avião

Confira abaixo 7 curiosidades dessa minha viagem:

1 – O abacate é usado como um alimento salgado. Os chilenos comem com bolacha de água e sal e não têm o costume de fazer uma vitamina como nós fazemos.

2 – O espanhol do Chile é considerado um dos mais informais pelos próprios chilenos. Eles sabem que estão muito distantes das regras da língua na fala. Para mim, o espanhol deles é um dos mais difíceis de entender, depois vem o espanhol da Argentina.

Vista do apartamento em que me hospedei em Santiago, no Chile

3 – Em uma estação de metrô no centro de Santiago, existem duas linhas que passam na mesma plataforma, ainda que elas vão para lugares diferentes. Então é preciso prestar atenção para onde está indo o trem quando você estiver esperando no metrô. Não me lembro exatamente a estação que esses dois trens distintos passam.

4 – Na época em fui para lá (2016), o ônibus rodoviário de Santiago para o litoral de Valparaíso, custou apenas R$ 10,00. O trajeto dura em torno de uma hora. Eu paguei mais caro no Uber (R$ 35,00) do centro até a rodoviária de Santiago.

Centro de Valparaíso, no Chile. Um lugar bem artístico e cheio de movimento turístico

5 – O centro de Santiago está completamente fechado no domingo, não tem nada funcionando.

Centro de Santiago. Gostei de passear por lá tem diversas opções culturais como museus e exposições na região

6 – Tenho uma amiga chilena que mora em Santiago e se chama Mari. Nos conhecemos em Mérida, no México. Essa é a única amizade do Chile, que não conheci lá, que tenho contato até hoje. Eu amo essa minha amiga.

7 – A minha anfitriã do Airbnb em Santiago não era chilena, era venezuelana e me fez uma arepa para comer, uma comida típica da Venezuela.

Nunca havia imaginado comer algo típico da Venezuela em Santiago do Chile

Curtindo a praia das Gaivotas em Floripa

A alguns minutos do centro do bairro dos Ingleses, no norte de Florianópolis, fica a praia das Gaivotas. Lá você pode encontrar uma faixa de areia mais extensa do que na praia perto do centrinho do bairro. As ondas são um pouco mais agitadas, mas nada que impeça de curtir o mar. A areia é clara e a água é transparente, mas isso vai depender do dia. A temperatura do mar pode ficar um pouco fria, porém não atrapalha os mergulhos, ainda mais se o sol estiver rachando.

Em um domingo, fui lá com a minha mãe aproveitar a praia. Como o dia estava de sol, então curti bastante. Se você não vai levar um guarda-sol, o preço do aluguel é de R$ 10,00 até as 18h00. Aluguei um e fiquei até umas 15h00. Já estava com as cadeiras de praia.

O domingo estava de sol, céu limpo, então aproveitei para tirar um foto na beira da Praia das Gaivotas

Caso você deseje ir caminhando do centro dos Ingleses até a praia, vai levar cerca de uns 20 minutos. Se pegar um Uber, é rapidinho; uns 6 minutos. Eu fui de Uber de casa até as Gaivotas.

Gosto de tomar bastante sol e garantir a vitamina D. Curto me queimar, mas passo bastante protetor e hidratante para não descascar

Se você for comprar alguma comidinha ou bebida na alta temporada (de dezembro até meados de março), prepare o seu bolso. Uma água de coco custa R$ 10,00, enquanto um açaí médio R$ 15,00, se for no crédito, pode ter alguma taxa. Levei algumas comidas de casa, então não gastei quase nada na praia mesmo, só tomei o açaí.

Nada melhor que apreciar a natureza na beira do mar

O dia foi bom demais nessa praia de Floripa

Essa foto foi tirada debaixo da sombra do guarda-sol

Dólar acima de R$ 5? Veja 4 praias para visitar no Brasil

A alta do dólar deixa aquela viagem internacional tão sonhada mais cara. O dólar hoje passou dos R$ 5, mas isso não quer dizer que o sonho de viajar acabou. Existem lugares muito lindos no Brasil que vale a pena conhecer sim e que vão proporcionar uma experiência inesquecível.

Vou deixar aqui 4 lugares para você pensar em conhecer dentro no Brasil depois que a quarentena passar:

1 – Florianópolis

As paisagens da cidade, que fica em uma na ilha, são lembranças para toda a vida. O destino é bem badalado, mas tem preços mais em conta também. Isso vai deixar os gastos bem menores que lugares mais visitados como o Rio de Janeiro.

Quem gosta de um lugar com uma faixa de areia mais extensa, a praia de Canasvieiras é uma boa pedida. Hoje eu estou morando no bairro dos Ingleses, onde a praia também é boa demais. A parte mais bonita, na minha opinião, é onde ficam as dunas, no lado direito lá no fim perto da montanha.

Praia dos Ingleses perto das dunas
Linda paisagem. No verão a água tá perfeita
Mar bom, sol bom e uma foto para deixar na memória

2 – Salvador – Bahia

Não vão faltar praias lindas para apreciar. A Praia do Farol da Barra e do Rio Vermelho são lugares imperdíveis principalmente por estarem de frente para a cidade. Caso você não queira tanta agitação, o Morro de São Paulo vai ser mais ideal para o seu gosto. Essa antiga vila fica a duas horas de Salvador.

Praia do Farol. Olha isso…
Reprodução: Férias Brasil

3 – São Sebastião – São Paulo

Quem está em São Paulo e não vai poder viajar para muito longe, São Sebastião é uma boa escolha. São diversas opções de praias como: Arrastão, São Francisco, Enseada, Barequeçaba, Maresias, Boiçucanga e Barra do Una. Existe até mesmo um grupo do WhatsApp para os turistas.

Enseada, opção mais ao norte de São Paulo
Reprodução: SãoSebastião.tur

4 – Porto de Galinhas – Recife

As piscinas naturais são um dos grandes atrativos dessa região que fica no litoral sul do estado. A região conta com paisagens paradisíacas. Aproveite também para se deliciar nas comidas típicas como o arrumadinho.

Difícil uma praia do nordeste não ser belíssima
Reprodução: Eu ando pelo mundo

Como é a praia de Canasvieiras em Florianópolis?

Canasvieiras, que está no norte da ilha, foi o primeiro bairro em que morei em Florianópolis e fica pertinho do badalado Jurerê Internacional. Todo mundo que passeia por Canas (apelido de Canasvieiras) diz que o estilo do lugar é mais familiar, e eu concordo. Por não ser grande, você consegue fazer coisas básicas na região como ir ao supermercado, ao correio, às lojas e à farmácia com poucos passos.

Norte de Florianópolis, no bairro de Canasvieiras, existe uma boa estrutura para receber turistas
Uma das principais vias de Canas é rua Madre Maria Villac, a alguns passos da praia

Às vezes na praia dá para ver algumas lanchas e barcos mais afastadas da orla, navegando em meio ao mar que tem dias quase sem ondas, porém outras vezes é mais agitado, mas não muito. Quem quer passear de lancha não vai ter dificuldade em se deslocar de Canas até Jurerê, que é onde os aluguéis estão disponíveis.

Dia de sol rachando e mar relaxado em Canas, amo

A praia é uma das mais lindas que eu vi aqui em Floripa. O destaque é para os espetaculares pores do sol. O mar tem águas claras caso o dia esteja de sol constante, a faixa de areia é extensa, o que dá espaço para receber muito visitante sem aglomeração.

Nesse dia o mar tava quase uma piscininha
Que pôr do sol lindo é esse?
A natureza é uma obra de arte. Não esperava por essa vista

Lado Esquerdo: residências, pedras (Ponta dos Morretes), pequenas trilhas e Jurerê Tradicional

No lado esquerdo da beira da praia de Canasvieiras, que é bastante residencial e tem mais a presença hotéis, ficam algumas pedras. Lá as pessoas podem fazer uma pequena caminhada na parte de baixo quando a maré está baixa, ou então subir pelas pedras e fazer uma trilha rápida até o outro lado da praia. Essa parte é conhecida como Ponta dos Morretes. Tem que ter disposição.

Para quem gosta de caminhar ainda mais, dá para chegar em Jurerê Tradicional com uns 30 minutos ou menos a partir das pedras.

Caminho para Jurerê em um dia nublado, imagina com sol

Lado direito: restaurantes, trapiche, passeio do Barco Pirata e Praia da Cachoeira

Se você for caminhando para o lado direito vai se deparar com uma bela paisagem também. Tem alguns restaurantes/bar na beira da praia para saborear algum petisco.

Um passeio que eu ainda não fiz por conta da pandemia é o Barco Pirata, mas, que agora está disponível com medidas de segurança contra o coronavírus (50% da capacidade e uso de máscara).

O Barco do Pirata passa por várias praias como Canajurê, Jurerê Internacional, Praia do Forte,
Ponta das Canas, entre outras. A duração é de 1h30. Os valores atualmente são de R$ 65 no cartão e R$ 60 no dinheiro. Aqui vai o site do passeio Barco Pirata para você ter mais detalhes.

Atração turística está tomando medidas preventivas depois de ter interrompido suas atividades

Mais para frente, não vai ser difícil de achar o trapiche, para quem é de São Paulo, o nome conhecido é o “pier”. Lá você consegue apreciar, tirar fotos “matadoras” da paisagem e não deixar passar a visão do nível de claridade da água.

Trapiche ou pier na parte direita de Canasvieiras. Antes tinha um toldo, porém ele foi levado pela ciclone bomba que teve em Floripa, mas calma que esse fenômeno é raro de acontecer.
Fui até o trapiche tirar uma selfie

Se você gosta de caminhar, mais para frente tem a Praia da Cachoeira (não tem cachoeira perto kkk), a faixa de areia nessa parte é menor e as propriedades são mais residenciais. Tem menos gente circulando e por isso é mais tranquilo, pelo menos na época que passava por lá em agosto e setembro.

Um pouco depois do trapiche, você vai em direção à Praia da Cachoeira. Gostou?

Cerro San Cristóbal, em Santiago no Chile

Um dos pontos mais visitados da cidade de Santiago é o Cerro San Cristóbal. Você consegue ter uma vista muito boa da cidade e da cordilheira, e ainda faz um exercício físico para chegar até o topo do morro. Nem preciso dizer que no domingo é cheio de gente querendo tirar uma foto no melhor ângulo que pode.

O Cerro San Cristóbal em Santiago fica próximo ao centro, não é de difícil acesso. Leve uma garrafinha de água para matar a sede. Caso você não queira subir a pé, tem um transporte que também te leva até o topo do cerro, o funicular. Eu recomendo altamente que você se alongue e curta a experiência de subir a pé, vai ser mais legal por causa do esforço. A vista da montanha é o maior atrativo juntamente com a proximidade da natureza.

Olha só as fotos:

Nessa dia fazia um pouco de frio

Uma praça em cima de um morro alto, nada mal

Cordilheira com neve e prédio famosão Sky Costanera
O sol veio deixando a paisagem mais clara e o céu sem nuvem

Valparaíso, no Chile, é cheia de cores e tem porto no centro

Valparaíso é uma cidade litorânea do Chile que fica a 1 hora de Santiago. Então, se você tiver tempo, dá para conhecer a região. O lugar é cheio de edifícios e construções com um toque artístico. Existe uma atmosfera mais festeira na cidade. Me recomendaram bastante ela, diziam que eu ia gostar. Eu curti mais por causa do estilo mais artístico.

Com duas ou três noites você consegue aproveitar bem o que essa cidade tem de bom para oferecer. Apesar de ser pequena, a cidade tem metrô. Então se você quiser se deslocar com uma bela vista para o mar, vai gostar da experiência.

Eu fiquei no hostel Casa Valparaíso, que fica bem no ponto turístico no Cerro Concepción, perto dos mirantes e das escadas coloridas.

Hostel colorido que combina com a região
A arquitetura clássica se mistura com a moderna em Valparaíso.
Monumento da praça principal de Valparaíso
Gostaram?
Praça central que fica próxima ao porto da cidade
Paisagem do porto com pequenos barcos com bandeiras do Canadá

Por que conhecer Viña del Mar no Chile?

Viña del mar é uma cidade que está quase a uma hora de Santiago, no Chile. Antigamente o lugar fazia parte de duas fazendas. A região é boa para dar um passeio em frente ao mar do Oceano Pacífico e fazer caminhadas, corridas, entre outros esportes. O fim de tarde na beira da praia é o momento mais indicado se você gosta apreciar um belo pôr do sol.

Eu aproveitava as tardes para fazer uma boa caminhada pela beira da praia. Eu só não dei um mergulho no mar porque a água é muito gelada. Fazia anos que não ia para a praia mergulhar, mas não tem como entrar naquelas águas gélidas.

A cidade está próxima da badalada e mais artística Valparaíso, aproximadamente a uns 15 minutos de Uber. Na entrada da cidade tem um relógio de flores que é bem famoso. Recomendo uma estadia de uns 2 ou 3 dias. Eu fiquei uma semana, mas era porque quis parar em um lugar para finalizar o meu e-book As Aventuras de um Jovem Chamado Adriano Ferreira.

Esse Relógio de Flores é bem bonito

Apesar de estar na praia, fazia frio.

Escultura na fonte de frente para a praia

Escultura de areia romântica em Viña del Mar

Em geral, as pessoas sentam na areia e ficam observando a paisagem

Olha isso…

Como foi meu passeio no bairro de Recoleta, Buenos Aires

A cidade de Buenos Aires, na Argentina, tem o seu charme. Passear pelo bairro de Recoleta te leva a uma paisagem cheia de edifícios e a uma arquitetura clássica, sem deixar de fora a natureza dos parques. Existe uma atmosfera mais artística para esse bairro. Um dos pontos turísticos mais conhecidos é a Floralis Genérica com seus 23 metros de altura, localizada no Parque Francia, região de praças e parques próximos da Faculdade de Direito de Buenos Aires, que tem na fachada colunas imponentes.

O movimento nessa região acontece nos fins de semana, você pode passear para apreciar a beleza ou simplesmente se sentar para relaxar
Parque Francia, Recoleta

Essa é a Faculdade de Direito de Buenos Aires. Nesse dia teve uma apresentação de danças típicas com trajes coloridos. Não sei dizer se a apresentação é peruana ou boliviana.

Do lado da Faculdade de Direito de Buenos Aires, na Plaza de las Naciones Unidas, está a tão famosa Floralis Generica. Nesse fim de tarde, a flor ainda se encontrava aberta, mas com o escurecer ela vai fechando gradualmente
Aos poucos a flor de metal vai se fechando conforme chega a noite
Entardecer com a beleza do céu e da obra artística do engenheiro argentino Eduardo Catalano

Como foi quando conheci Machu Picchu, no Peru

Esse destino é famoso e desejado por muitos viajantes. Eu fui lá, passei 15 dias em uma cidade também bem famosa que está perto das ruínas: Cusco. Geralmente os viajantes vão param lá para conhecer Machu Picchu. Eu fiz a viagem até Machu Picchu do modo mais econômico.

Neste dia eu já tinha feito a subida a pé até Machu Picchu.

Primeiro peguei uma van de Cusco até um lugar que se chama Hidroelétrica (a viagem durou umas 6 horas) e de lá fui caminhando umas 2 horas e meia até Águas Calientes, essa cidade fica no meio de uma selva em que está Machu Picchu. A viagem de van não é recomendada para quem tem enjoos, porque existem várias curvas nas montanhas. Eu que não nunca tive enjoo, senti bastante como é essa sensação. Você pode ir trem. Esse site aqui vai te ajudar a ter informações para pegar o trem.

Dormi em um hostel em Águas Calientes e de manhãzinha subi definitivamente Machu Picchu. Eu fui a pé com a cara e a coragem, foi uma hora de subida. No caminho conheci dois peruanos de Lima, e fomos fazendo o trajeto juntos até chegar na entrada de Machu Picchu. A subida não é para amadores, mas, depois que você chega lá, vai ver que tudo valeu a pena.

Observando a natureza da montanha com vista para Machu Picchu

Tive sorte que saiu um pouco de sol em meio às nuvens
Nem tive coragem de olhar muito para baixo. Não subi mais.
Ruínas da cidade escondida onde vivia o chefão dos Incas, o Pachacuti
Pose diferente na cidade misteriosa dos Incas
Aqui as nuvens já começaram a aparecer. Fiquei até o fim da tarde, desci por volta de umas 16h00.

Pôr do sol no Salar de Uyuni e 3 dicas para o passeio

Depois de passear bastante pelo maior deserto de sal do planeta, o fim do dia chegou e aproveitei as minhas últimas horas do tour para apreciar o pôr do sol. Essa foi a visão mais linda que tive na minha viagem na Bolívia, não tem como esquecer.

Fim do dia chegando…

Observando como uma paisagem natural pode ser tão bonita mesmo no deserto

O frio foi chegando e o sol se pondo no horizonte de uma maneira bem natural. Nenhum prédio, nenhum barulho de carro, nenhuma poluição no céu. Haviam somente o céu, a terra e o pessoal do tour ao meu redor. Pensa na sensação de serenidade. Terminar o dia assim é muito bom.

MELHOR PAISAGEM da minha viagem na Bolívia. Tem um pôr do sol igual a esse onde? As nuvens parecem que têm corante, mas é o reflexo do sol.

Aqui vão 3 dicas sobre o passeio no Salar de Uyuni:

1 – Ilha com cactos

Essa ilha com cactos que tem até um museu é uma surpresa no salar. De lá você consegue ter uma ótima vista da imensidão do lugar. Então tente subir o mais alto que puder para tirar boas fotos.

2 – Compras

Sim, tem uma parte do tour que o carro passa em uma feira de artesanato com várias artes e lembranças do passeio. Se preferir, leve um dinheiro para isso.

3 – Reserva

Você consegue comprar o passeio do Salar de Uyuni tanto na cidade de Uyuni, quanto em San Pedro de Atacama, no Chile. Diversos viajantes fazem esse percurso.