Cerro San Cristóbal, em Santiago no Chile

Um dos pontos mais visitados da cidade de Santiago é o Cerro San Cristóbal. Você consegue ter uma vista muito boa da cidade e da cordilheira, e ainda faz um exercício físico para chegar até o topo do morro. Nem preciso dizer que no domingo é cheio de gente querendo tirar uma foto no melhor ângulo que pode.

O Cerro San Cristóbal em Santiago fica próximo ao centro, não é de difícil acesso. Leve uma garrafinha de água para matar a sede. Caso você não queira subir a pé, tem um transporte que também te leva até o topo do cerro, o funicular. Eu recomendo altamente que você se alongue e curta a experiência de subir a pé, vai ser mais legal por causa do esforço. A vista da montanha é o maior atrativo juntamente com a proximidade da natureza.

Olha só as fotos:

Nessa dia fazia um pouco de frio

Uma praça em cima de um morro alto, nada mal

Cordilheira com neve e prédio famosão Sky Costanera
O sol veio deixando a paisagem mais clara e o céu sem nuvem

Valparaíso, no Chile, é cheia de cores e tem porto no centro

Valparaíso é uma cidade litorânea do Chile que fica a 1 hora de Santiago. Então, se você tiver tempo, dá para conhecer a região. O lugar é cheio de edifícios e construções com um toque artístico. Existe uma atmosfera mais festeira na cidade. Me recomendaram bastante ela, diziam que eu ia gostar. Eu curti mais por causa do estilo mais artístico.

Com duas ou três noites você consegue aproveitar bem o que essa cidade tem de bom para oferecer. Apesar de ser pequena, a cidade tem metrô. Então se você quiser se deslocar com uma bela vista para o mar, vai gostar da experiência.

Eu fiquei no hostel Casa Valparaíso, que fica bem no ponto turístico no Cerro Concepción, perto dos mirantes e das escadas coloridas.

Hostel colorido que combina com a região
A arquitetura clássica se mistura com a moderna em Valparaíso.
Monumento da praça principal de Valparaíso
Gostaram?
Praça central que fica próxima ao porto da cidade
Paisagem do porto com pequenos barcos com bandeiras do Canadá

Por que conhecer Viña del Mar no Chile?

Viña del mar é uma cidade que está quase a uma hora de Santiago, no Chile. Antigamente o lugar fazia parte de duas fazendas. A região é boa para dar um passeio em frente ao mar do Oceano Pacífico e fazer caminhadas, corridas, entre outros esportes. O fim de tarde na beira da praia é o momento mais indicado se você gosta apreciar um belo pôr do sol.

Eu aproveitava as tardes para fazer uma boa caminhada pela beira da praia. Eu só não dei um mergulho no mar porque a água é muito gelada. Fazia anos que não ia para a praia mergulhar, mas não tem como entrar naquelas águas gélidas.

A cidade está próxima da badalada e mais artística Valparaíso, aproximadamente a uns 15 minutos de Uber. Na entrada da cidade tem um relógio de flores que é bem famoso. Recomendo uma estadia de uns 2 ou 3 dias. Eu fiquei uma semana, mas era porque quis parar em um lugar para finalizar o meu e-book As Aventuras de um Jovem Chamado Adriano Ferreira.

Esse Relógio de Flores é bem bonito

Apesar de estar na praia, fazia frio.

Escultura na fonte de frente para a praia

Escultura de areia romântica em Viña del Mar

Em geral, as pessoas sentam na areia e ficam observando a paisagem

Olha isso…

Como foi meu passeio no bairro de Recoleta, Buenos Aires

A cidade de Buenos Aires, na Argentina, tem o seu charme. Passear pelo bairro de Recoleta te leva a uma paisagem cheia de edifícios e a uma arquitetura clássica, sem deixar de fora a natureza dos parques. Existe uma atmosfera mais artística para esse bairro. Um dos pontos turísticos mais conhecidos é a Floralis Genérica com seus 23 metros de altura, localizada no Parque Francia, região de praças e parques próximos da Faculdade de Direito de Buenos Aires, que tem na fachada colunas imponentes.

O movimento nessa região acontece nos fins de semana, você pode passear para apreciar a beleza ou simplesmente se sentar para relaxar
Parque Francia, Recoleta

Essa é a Faculdade de Direito de Buenos Aires. Nesse dia teve uma apresentação de danças típicas com trajes coloridos. Não sei dizer se a apresentação é peruana ou boliviana.

Do lado da Faculdade de Direito de Buenos Aires, na Plaza de las Naciones Unidas, está a tão famosa Floralis Generica. Nesse fim de tarde, a flor ainda se encontrava aberta, mas com o escurecer ela vai fechando gradualmente
Aos poucos a flor de metal vai se fechando conforme chega a noite
Entardecer com a beleza do céu e da obra artística do engenheiro argentino Eduardo Catalano

Como foi quando conheci Machu Picchu, no Peru

Esse destino é famoso e desejado por muitos viajantes. Eu fui lá, passei 15 dias em uma cidade também bem famosa que está perto das ruínas: Cusco. Geralmente os viajantes vão param lá para conhecer Machu Picchu. Eu fiz a viagem até Machu Picchu do modo mais econômico.

Neste dia eu já tinha feito a subida a pé até Machu Picchu.

Primeiro peguei uma van de Cusco até um lugar que se chama Hidroelétrica (a viagem durou umas 6 horas) e de lá fui caminhando umas 2 horas e meia até Águas Calientes, essa cidade fica no meio de uma selva em que está Machu Picchu. A viagem de van não é recomendada para quem tem enjoos, porque existem várias curvas nas montanhas. Eu que não nunca tive enjoo, senti bastante como é essa sensação. Você pode ir trem. Esse site aqui vai te ajudar a ter informações para pegar o trem.

Dormi em um hostel em Águas Calientes e de manhãzinha subi definitivamente Machu Picchu. Eu fui a pé com a cara e a coragem, foi uma hora de subida. No caminho conheci dois peruanos de Lima, e fomos fazendo o trajeto juntos até chegar na entrada de Machu Picchu. A subida não é para amadores, mas, depois que você chega lá, vai ver que tudo valeu a pena.

Observando a natureza da montanha com vista para Machu Picchu

Tive sorte que saiu um pouco de sol em meio às nuvens
Nem tive coragem de olhar muito para baixo. Não subi mais.
Ruínas da cidade escondida onde vivia o chefão dos Incas, o Pachacuti
Pose diferente na cidade misteriosa dos Incas
Aqui as nuvens já começaram a aparecer. Fiquei até o fim da tarde, desci por volta de umas 16h00.

Pôr do sol no Salar de Uyuni e 3 dicas para o passeio

Depois de passear bastante pelo maior deserto de sal do planeta, o fim do dia chegou e aproveitei as minhas últimas horas do tour para apreciar o pôr do sol. Essa foi a visão mais linda que tive na minha viagem na Bolívia, não tem como esquecer.

Fim do dia chegando…

Observando como uma paisagem natural pode ser tão bonita mesmo no deserto

O frio foi chegando e o sol se pondo no horizonte de uma maneira bem natural. Nenhum prédio, nenhum barulho de carro, nenhuma poluição no céu. Haviam somente o céu, a terra e o pessoal do tour ao meu redor. Pensa na sensação de serenidade. Terminar o dia assim é muito bom.

MELHOR PAISAGEM da minha viagem na Bolívia. Tem um pôr do sol igual a esse onde? As nuvens parecem que têm corante, mas é o reflexo do sol.

Aqui vão 3 dicas sobre o passeio no Salar de Uyuni:

1 – Ilha com cactos

Essa ilha com cactos que tem até um museu é uma surpresa no salar. De lá você consegue ter uma ótima vista da imensidão do lugar. Então tente subir o mais alto que puder para tirar boas fotos.

2 – Compras

Sim, tem uma parte do tour que o carro passa em uma feira de artesanato com várias artes e lembranças do passeio. Se preferir, leve um dinheiro para isso.

3 – Reserva

Você consegue comprar o passeio do Salar de Uyuni tanto na cidade de Uyuni, quanto em San Pedro de Atacama, no Chile. Diversos viajantes fazem esse percurso.

Consegui pegar o espelho d’água no Salar de Uyuni

Continuando no meu passeio no Salar de Uyuni, eu consegui pegar o famoso espelho d’água mesmo sem estar na época. Quando fui, era por volta de setembro. Tinha uma pequena parte com água. A época perfeita para o espelho d’água é no verão.

O efeito da água no salar deixa a vista mais incrível ainda. Você consegue tirar diversas muito diferentes.

Olha as fotos:

A fotógrafa tirou a foto no momento mais legal e ficou boa. Como poucas.
Não liguei de andar pela água, me molhar e nem me sujar com o sal 🙂
Sei fazer cara de charme, não importa o lugar…
O deserto de sal é fabuloso. A criatividade não tem fim.
Adriano, quem tira as suas fotos? Quem tira é o turista mais próximo…
O entardecer deixa a paisagem tão inspiradora
O lugar é muito mais que uma paisagem de um deserto de sal…

Conhecendo o maior deserto de sal do mundo

Depois do vilarejo de artesanatos e lojas de sal, no passeio do maior deserto de sal do mundo, no Salar de Uyuni, o carro do tour foi se aproximando cada vez mais para dentro da região. Você começa a ver apenas o céu e a terra. A paisagem tem uma combinação natural possivelmente não vista em nenhum outro lugar do mundo. Olha as fotos:

Esse é apenas o começo do passeio…
O chão do Salar de Uyuni é puro sal
Parece que a terra está perto do céu, ou é o céu que está perto da terra?
Essa é a pequena ilha no meio do deserto recheada de cactos
Que vista é essa? Quem olha de cima da ilha de cactos tem uma pequena noção da grandeza do deserto de sal

Como foi o início do meu tour no Salar de Uyuni, na Bolívia

A Bolívia tem lugares inimagináveis para conhecer. Foi um dos países que me surpreendeu pelo tanto de beleza e história, e ainda não custa caro. O Salar de Uyuni é simplesmente o maior deserto de sal do mundo e fica na cidade de Uyuni mesmo. Existem vários pacotes de tours de 1, 2 ou 3 dias.

No seu tour para o Salar de Uyuni, não fique sem levar água, umas comidinhas, óculos de sol por causa da grande claridade e também protetor solar. Esse salar é um dos lugares mais bonitos e diferentes que eu conheci. Recomendo para você acrescentar na sua lista de destinos.

Comecei o dia com um café da boliviano. Tem quinoa no pote com tampa azul, marmelada, chá e pães.

O início do passeio é no cemitério do trens, nessa parte você ainda não tem a paisagem surreal de Uyuni.

O trem está imóvel há anos. É até diferente porque o lugar já está no meio do nada.
Não tinha muito tempo para ficar no cemitério de trens. Já fomos ver um povoado de comércio na região.
Essa é uma loja de artesanatos construída com sal. Esses blocos aí são de sal mesmo.
Monumentos feitos de sal. Nunca tinha visto nada construído com esse composto.

Indo para Uyuni – Estrada do Chile até a Bolívia

Depois que terminei a minha viagem pelo Chile, fui de San Pedro de Atacama até a cidade de Uyuni na Bolívia. O caminho pelo deserto é bem frio de manhã. Se for fazer o mesmo caminho, se agasalhe bem. Quem está em San Pedro do Atacama pode pegar um ônibus até a cidade de Calama, dormir em um hotel e de manhã pegar o ônibus para Uyuni. Eu fui direto de San Pedro, esse percurso é mais caro, mas é mais prático.

Foi o dia inteiro vendo a paisagem da estrada que leva até Uyuni. Teve paradas para o almoço, fotos em uma região de pedras enormes e uma cidadezinha que não consegui tirar foto porque estava sem bateria.

Olha só as paisagens da estrada:

Início do caminho na Bolivia para Uyuni
Só observando a paisagem pelo vidro do carro
Esse é um povoado bem remoto, onde a pick-up parou na hora do almoço
No meio do nada, diversas pedras gigantes mudam o cenário do percurso
Tava sol, mas fazia um vento bem frio. Estou com duas blusas grossas