7 curiosidades sobre minhas experiências em Santiago, no Chile

Fiquei aproximadamente um mês no Chile e uma semana em Santiago. Consegui observar algumas particularidades por lá. Também conheci alguns costumes da capital chilena e do país em geral.

A beleza natural já ser vista no avião

Confira abaixo 7 curiosidades dessa minha viagem:

1 – O abacate é usado como um alimento salgado. Os chilenos comem com bolacha de água e sal e não têm o costume de fazer uma vitamina como nós fazemos.

2 – O espanhol do Chile é considerado um dos mais informais pelos próprios chilenos. Eles sabem que estão muito distantes das regras da língua na fala. Para mim, o espanhol deles é um dos mais difíceis de entender, depois vem o espanhol da Argentina.

Vista do apartamento em que me hospedei em Santiago, no Chile

3 – Em uma estação de metrô no centro de Santiago, existem duas linhas que passam na mesma plataforma, ainda que elas vão para lugares diferentes. Então é preciso prestar atenção para onde está indo o trem quando você estiver esperando no metrô. Não me lembro exatamente a estação que esses dois trens distintos passam.

4 – Na época em fui para lá (2016), o ônibus rodoviário de Santiago para o litoral de Valparaíso, custou apenas R$ 10,00. O trajeto dura em torno de uma hora. Eu paguei mais caro no Uber (R$ 35,00) do centro até a rodoviária de Santiago.

Centro de Valparaíso, no Chile. Um lugar bem artístico e cheio de movimento turístico

5 – O centro de Santiago está completamente fechado no domingo, não tem nada funcionando.

Centro de Santiago. Gostei de passear por lá tem diversas opções culturais como museus e exposições na região

6 – Tenho uma amiga chilena que mora em Santiago e se chama Mari. Nos conhecemos em Mérida, no México. Essa é a única amizade do Chile, que não conheci lá, que tenho contato até hoje. Eu amo essa minha amiga.

7 – A minha anfitriã do Airbnb em Santiago não era chilena, era venezuelana e me fez uma arepa para comer, uma comida típica da Venezuela.

Nunca havia imaginado comer algo típico da Venezuela em Santiago do Chile

Ilha Cozumel, no México – Parte 1

Quem não gosta de uma ilha paradisíaca? Cozumel, no México, a aproximadamente 35 minutos de Playa del Carmen, é um local visitado por muitos turistas.

Quem chega em Playa del Carmen consegue encontrar diversas empresas que fazem o percurso de ferry, a mais barata é a México. Quando fui, paguei 90 pesos mexicanos para a ida e volta (quase 18 reais ao todo).

O dia em que fui não estava com muito sol

É importante prestar atenção no último horário de volta de Cozumel para Playa del Carmen às 20:00 hs, e o penúltimo volta às 18:00 hs, ou seja, são duas horas de diferença. Eu perdi o horário das 18:00 hs e acabei tendo que esperar o próximo.

Monumento de aves que fica próximo ao porto de chegada da ilha
Essas carruagens parecem vindas de um conto de fadas para um passeio real romântico com alguém qualificado para a vaga

Quem vai para Cozumel, antes de mais nada, precisa saber que as praias não estão perto do porto. Andar vai tornar o dia bem cansativo, por isso, alugar um carro ou uma bicicleta é indispensável.

Fui numa loja perguntar quanto era o aluguel de uma bicicleta e na época custava $ 150 pesos o dia todo (R$ 30,00). Um carro para quatro pessoas o dia todo estava em torno de $ 200 pesos para cada um (R$ 40,00), fora o combustível. Para quem quiser ver mais praias, é recomendável visitar Cozumel com mais pessoas para alugar um carro e passear tranquilamente sem pressa e sem perrengue.

Aqui abaixo vai uma empresa que faz o aluguel de veículos. O local dessa agência é numa rua à esquerda da torre do relógio, bem visível, que fica na praça principal. Não peguei o nome da rua, perdóname.

As melhores praias ficam na parte contrária do local do porto em que você chega. Então amigos, não faça como eu, e não vão para a Playa Azul a pé. Acho que uma bicicleta, para quem não está acostumado com a distância e com o calor, vai exigir bastante do condicionamento físico. Se você tem essa preparação, só vai 😉 Acho que preciso ir outra vez para Cozumel para aproveitar as praias de verdade.

Variedades de comércios e restaurantes ficam no centrinho perto do porto de chegada

O centro de Cozumel é totalmente variado, tem lojinhas com lembranças, restaurantes e hotéis. O lugar é bom para fazer compras. Comprei um chaveiro como lembrança da ilha.

Centrinho da ilha Cozumel perto da torre de relógio na praça principal

Dólar acima de R$ 5? Veja 4 praias para visitar no Brasil

A alta do dólar deixa aquela viagem internacional tão sonhada mais cara. O dólar hoje passou dos R$ 5, mas isso não quer dizer que o sonho de viajar acabou. Existem lugares muito lindos no Brasil que vale a pena conhecer sim e que vão proporcionar uma experiência inesquecível.

Vou deixar aqui 4 lugares para você pensar em conhecer dentro no Brasil depois que a quarentena passar:

1 – Florianópolis

As paisagens da cidade, que fica em uma na ilha, são lembranças para toda a vida. O destino é bem badalado, mas tem preços mais em conta também. Isso vai deixar os gastos bem menores que lugares mais visitados como o Rio de Janeiro.

Quem gosta de um lugar com uma faixa de areia mais extensa, a praia de Canasvieiras é uma boa pedida. Hoje eu estou morando no bairro dos Ingleses, onde a praia também é boa demais. A parte mais bonita, na minha opinião, é onde ficam as dunas, no lado direito lá no fim perto da montanha.

Praia dos Ingleses perto das dunas
Linda paisagem. No verão a água tá perfeita
Mar bom, sol bom e uma foto para deixar na memória

2 – Salvador – Bahia

Não vão faltar praias lindas para apreciar. A Praia do Farol da Barra e do Rio Vermelho são lugares imperdíveis principalmente por estarem de frente para a cidade. Caso você não queira tanta agitação, o Morro de São Paulo vai ser mais ideal para o seu gosto. Essa antiga vila fica a duas horas de Salvador.

Praia do Farol. Olha isso…
Reprodução: Férias Brasil

3 – São Sebastião – São Paulo

Quem está em São Paulo e não vai poder viajar para muito longe, São Sebastião é uma boa escolha. São diversas opções de praias como: Arrastão, São Francisco, Enseada, Barequeçaba, Maresias, Boiçucanga e Barra do Una. Existe até mesmo um grupo do WhatsApp para os turistas.

Enseada, opção mais ao norte de São Paulo
Reprodução: SãoSebastião.tur

4 – Porto de Galinhas – Recife

As piscinas naturais são um dos grandes atrativos dessa região que fica no litoral sul do estado. A região conta com paisagens paradisíacas. Aproveite também para se deliciar nas comidas típicas como o arrumadinho.

Difícil uma praia do nordeste não ser belíssima
Reprodução: Eu ando pelo mundo

Colônia García Ginerés, Mérida, México

O bairro García Ginerés em Mérida, no México, não é visitado por muitos estrangeiros, mas é um lugar legal para passear no fim da tarde para bater um papo ou simplesmente passear. O nome do local é Parque de las Américas. Para chegar lá, é preciso caminhar pela famosa avenida Paseo del Montejo em direção ao Wallmart e quando chegar perto de um posto turístico, virar a esquerda e seguir em frente.

Várias pessoas passeiam com os amigos e a família no fim de tarde. Só não pode esquecer o repelente.
O calor de Mérida fica menor no fim da tarde, o melhor tempo para passear na rua
O lugar tem inspiração no povo Maia. As pinturas ilustram os antepassados mexicanos
O bairro tem um visual bonito
Tranquilidade em um lugar menos conhecido por turistas e mais frequentado pelo locais

Aeroporto Aeroparque em Buenos Aires

Depois de ficar um mês na Argentina, chegou o dia em que fui para Santiago no Chile. O aeroporto Aeroparque está mais próximo do bairro de Palermo, local próximo em que eu estava hospedado em Chacarita. O Uber não demorou muito para chegar. Cheguei bem cedo, então tive tempo de conhecer o aeroporto com calma.

Eu tinha chegado tão cedo que não pude nem fazer o check-in. Só pude meia-hora antes do embarque,

O sono ainda não estava forte e nem tinha como dormir ali, então fiquei esperando o tempo passar.
O voo para Santiago no Chile teve escala em Córdoba. O primeiro avião foi de um voo nacional.
O primeiro voo saiu as 06:00. O segundo, em Córdoba, às 14:10.
Achei legal esse café em frente à área de espera para o embarque
Peguei a janela, acho que tive sorte, mas pegar a janela no segundo voo foi mais legal ainda por causa da Cordilheira dos Andes

Passeei de bicicleta no Valle de La Luna, no Chile. Dicas para o Atacama.

San Pedro de Atacama, que fica no norte do país, é um lugar imperdível para conhecer no Chile. Eu me surpreendi com tanta beleza natural que nunca tinha imaginado antes. O Valle de la Luna é um parque imperdível para conhecer. Eu tive coragem de sair de bicicleta do meu hostel e enfrentar o deserto (não tinha noção, né).

Vista do Valle de La Luna. Estou sorrindo na foto, mas suei muito para chegar até aí.
O lado bom de eu não ter feito um tour e ter ido de bicicleta foi fazer tudo sem pressa nenhuma, até porque nem tinha como ter pressa…
Poucas paisagens são como essas, ou quase nenhuma

Quem nunca foi para o deserto pode não ter noção do quão diferente é um lugar como esses. Então, se você vai viajar para lá, veja essas cincos dicas de quem já conheceu a região:

1 – Reserve sua hospedagem perto do centro

O centro do povoado de San Pedro do Atacama é a melhor região para você se hospedar. Como o lugar é um deserto, o calor e o cansaço de ter que caminhar um pouco mais não serão tão estimulantes. Tudo o que você precisa está lá no centro: mercados, restaurantes, lojas, casas de câmbio e agências de viagem. Não esqueça de levar, ou compre o seu boné ou chapéu para se proteger do sol escaldante.

2 – Não fique com dias de folga

O legal do Atacama são os diversos passeios que você pode fazer. Ficar um dia todo sem pegar um tour pode ser um desperdício de tempo e dinheiro. Planeje a sua viagem e os lugares do Atacama que você quer conhecer. O centro do povoado você consegue ver num fim de tarde ou numa manhã.

3 – Batom de cacau e hidratante

Os meus lábios estavam tão ressecados que quase começaram a rachar. O Atacama é seco. As minhas mãos ressecaram tanto que começaram a aparecer pequenas cascas entre os dedos, então seja prevenido e leve com você um batom de cacau e um hidratante para as mãos. Beber água é essencial nesse deserto.

4 – Prefira um tour

Muitas pessoas, inclusive eu, optaram bela ideia (só que não) de ir de bicicleta pelo deserto do Atacama para o Valle de La Luna. Nossa, nunca mais faço isso. A sua preparação física tem que estar muito boa e olha que na época eu praticava muita corrida. Pense que o ambiente é um deserto, se acontecer algum imprevisto vai ficar mais difícil. Faltou energia e sobrou cansaço, viu. Eu não vou me estender muito porque quero contar os detalhes do que aconteceu comigo no meu segundo e-book. O meu primeiro é esse aqui. Siga essa dica valiosa. Não vá para o Vale de La Luna pedalando…

A vista é uma coisa impressionante. Eu não recomendo que vá de bicicleta, a não ser que tenha o físico bem preparado para o tranco. Eu fui, a experiência foi exaustiva, mas tive minha recompensa 🙂
O parque tem mais de mais de dez quilômetros e começa depois de cinco quilômetros que você passa na entrada. Isso sem calcular o caminho do povoado de San Pedro até a entrada. Linda paisagem.
Essa placa no meio do Valle de la Luna, nem me lembro se segui…

5 – Passagens aéreas mais baratas

Ah, a passagem de Santiago para San Pedro não fica cara se você comprar no site da versão chilena da companhia aérea que escolher, mas a sua mala precisa ser de mão. Eu só não fui de avião porque o meu excesso de bagagem não ia compensar pelo valor total do voo. Quando você estiver no Chile, acesse a internet e busque pelas companhias aéreas de baixo custo que operam no país. Você vai achar um valor impressionantemente em conta em relação aos preços praticados no Brasil 🙂

Veja como é o centro de Lima, no Peru

O centro de Lima tem uma praça limpa e uma jardinagem bonita. É muito fácil de encontrar vários restaurantes bons e com preços melhores ainda, por lá. O dinheiro do Peru é o Soles, que tem o mesmo valor do real, no entanto, lá o seu dinheiro rende muito mais.

Não estranhe o clima meio nublado ameaçando que vai chover porque nunca chove na cidade. Isso acontece por causa da localização geográfica da região. Não se espante com o tamanho da cidade que é realmente gigante, mas os principais pontos turísticos estão todos perto do centro. Os bairros de Miraflores e Barranco são bastante agitados. Barranco respira arte e Miraflores modernização e estabelecimentos badalados. Depois faço uma postagem somente desses bairros.

Olha como é o centro de Lima:

Plaza Mayor. É Europa? Não sei, nunca fui, só vejo nas fotos e nos vídeos e ouço falar.
Centro da cidade é cheio de cores e com edifícios históricos.

Clima é ameno, mas pede uma jaqueta mais leve

Gosto de ver chafarizes, principalmente quando rodeado de uma jardinagem de bom gosto

Uma coisa que percebi: na maioria dos países latino-americanos que passei, existe uma igreja na praça principal do centro

Sonhar com viagem internacional vale a pena?

O sonho é o começo de toda realização. É lógico que é difícil realizar os sonhos, mas é possível. Se você não sonha com algum destino, como vai se planejar? Não tem como. Antes de fazer a minha primeira viagem internacional, eu não tinha as mínimas condições. Só ficava admirando aqueles vídeos de viagem no YouTube e aquelas revistas de agências. Mas sabe o que aconteceu? Eu continuei sonhando, mesmo com todas as impossibilidades que se erguiam na minha realidade.

Eu sempre tive objetivos e tenho, e foi isso o que me deu ânimo para insistir no sonho. Fui trabalhando, fui subindo de cargo, até que um dia, me vi em plenas condições de viajar de maneira confortável e lá fui eu para a minha primeira viagem internacional: passei por 12 países, mais de 40 cidades. Quem dira, hein. Aquele menino que já tinha trabalhado de camelô na rua, que já tinha recebido um monte de nãos, viu que é possível sim realizar o sonho. Só não pode desistir.

Pode ser que, se hoje você fala do seu sonho para alguém, essa pessoa talvez possa querer te mostrar todas as dificuldades que estão na sua frente, mas sabe de uma coisa? Se você acredita em você e faz o bem, o mais importante é o que você pensa de você mesmo, não os outros. Você pode se levar para longe ou para lugar nenhum. Tudo vai depender de você mesmo. Insista que, na hora certa, chega.

Não importa em que estação da sua vida você está, continue insistindo 🙂

Vou deixar um vídeo de uns dos dias mais legais que tive na minha viagem: quando fui conhecer a neve em Santiago, no Chile:

O que fiz na praia em Matinhos em um dia chuvoso

Quando a gente vai na praia, sempre quer bastante sol né. Mas nem sempre isso acontece. No dia que fui visitar duas praias do litoral paranaense; Caiobá e Matinhos, o tempo não estava para mergulhar no mar. As nuvens pesadas começaram a aparecer, o vento já se mostrou para o que tinha vindo e a garoa começou sem parar.

Como não dava para entrar na água, então simplesmente passeei com o meu pai e meus amigos e fomos almoçar uma porção. O saboroso almoço foi o ápice do dia.

Olha as fotos do dia de chuva:

Parecia que ia ter sol….
Caiobá – Paraná
Matinhos – Paraná
Vish. Cade o verão?
Vamos esperar outro dia para o sol aparecer…

Belo Jardim – Pernambuco

Quando fui em Belo Jardim, no Pernambuco, conheci a deliciosa culinária nordestina e passeei pela natureza. A cidade do interior fica a três horas da capital Recife. Valeu a pena visitar o lugar onde morou minha vó.

Parque público em Belo Jardim

Flores bonitas no caminho para um restaurante
Lago em Belo Jardim
Restaurante de culinária nordestina
Arrumadinho, prato típico. UMA DELÍCIA.