O que é o Latam Pass?

Todo viajante quer aproveitar o passeio da melhor maneira e isso inclui economizar. O Latam Pass serve para acumular pontos e trocá-los por viagens. Quando você viaja usando o seu cartão de crédito e compra produtos ou consome serviços em empresas parceiras, você acumula pontos para trocar por viagens ou benefícios.

Sala Vip do Aeroporto de Guarulhos
Reprodução/Próxima Trip

Os cartões de créditos aceitos são Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander.

Você acumula pontos usando o seu cartão em:

  • Voos LATAM;
  • Compras online;
  • Hospedagens e
  • Combustível.

Entre as empresas que participam do programa estão: Magazine Luiza, Netshoes, Km de Vantagens e Booking.com.

Os benefícios incluem:

  • Acesso privilegiado para Salas VIP LATAM (onde tem comida à vontade);
  • Upgrade de cabines (possibilidade de mudar da classe econômica para a executiva, por exemplo, mas é preciso verificar as condições do voo);
  • Check-in e embarque preferencial (fila pra quê?); entre outros.

É necessário se cadastrar no site do programa para participar das vantagens.

Aproveite a dica 😉

Pôr do sol no Salar de Uyuni e 3 dicas para o passeio

Depois de passear bastante pelo maior deserto de sal do planeta, o fim do dia chegou e aproveitei as minhas últimas horas do tour para apreciar o pôr do sol. Essa foi a visão mais linda que tive na minha viagem na Bolívia, não tem como esquecer.

Fim do dia chegando…

Observando como uma paisagem natural pode ser tão bonita mesmo no deserto

O frio foi chegando e o sol se pondo no horizonte de uma maneira bem natural. Nenhum prédio, nenhum barulho de carro, nenhuma poluição no céu. Haviam somente o céu, a terra e o pessoal do tour ao meu redor. Pensa na sensação de serenidade. Terminar o dia assim é muito bom.

MELHOR PAISAGEM da minha viagem na Bolívia. Tem um pôr do sol igual a esse onde? As nuvens parecem que têm corante, mas é o reflexo do sol.

Aqui vão 3 dicas sobre o passeio no Salar de Uyuni:

1 – Ilha com cactos

Essa ilha com cactos que tem até um museu é uma surpresa no salar. De lá você consegue ter uma ótima vista da imensidão do lugar. Então tente subir o mais alto que puder para tirar boas fotos.

2 – Compras

Sim, tem uma parte do tour que o carro passa em uma feira de artesanato com várias artes e lembranças do passeio. Se preferir, leve um dinheiro para isso.

3 – Reserva

Você consegue comprar o passeio do Salar de Uyuni tanto na cidade de Uyuni, quanto em San Pedro de Atacama, no Chile. Diversos viajantes fazem esse percurso.

Consegui pegar o espelho d’água no Salar de Uyuni

Continuando no meu passeio no Salar de Uyuni, eu consegui pegar o famoso espelho d’água mesmo sem estar na época. Quando fui, era por volta de setembro. Tinha uma pequena parte com água. A época perfeita para o espelho d’água é no verão.

O efeito da água no salar deixa a vista mais incrível ainda. Você consegue tirar diversas muito diferentes.

Olha as fotos:

A fotógrafa tirou a foto no momento mais legal e ficou boa. Como poucas.
Não liguei de andar pela água, me molhar e nem me sujar com o sal 🙂
Sei fazer cara de charme, não importa o lugar…
O deserto de sal é fabuloso. A criatividade não tem fim.
Adriano, quem tira as suas fotos? Quem tira é o turista mais próximo…
O entardecer deixa a paisagem tão inspiradora
O lugar é muito mais que uma paisagem de um deserto de sal…

Viajar sozinho é bom?

Eu viajei sozinho por todos os países que passei. Isso não não quer dizer que eu fiquei solitário, pelo contrário. Já conheci pessoas que pensavam que eu estava infeliz porque eu não tinha saído de casa acompanhado, mas, sinceramente, isso não me prejudicou a minha satisfação de viajar. Eu gostei de viajar sozinho, não reclamo não e não vejo desvantagem nenhuma.

Nunca combinei nenhuma viagem com ninguém, isso me deu a liberdade de não precisar ir para um lugar que não desejava e também de não ter expectativa de ser acompanhado por alguém para onde eu quisesse ir. No meio do caminho, conheci várias pessoas legais, divertidas, interessantes e fiz novas amizades que provavelmente não teria feito se estivesse acompanhado. Para viajar junto, é necessário que os gostos, as condições e as preferências coincidam. O ruim é deixar de viajar por causa dos outros.

Chileno e brasileira que conheci em Valparaíso, no Chile. Passamos o dia todo visitando vários lugares sem nem ver o tempo passar

Não sou contra viajar com uma companhia, ao contrário, até penso ser legal, mas, se a pessoa não for aquela que está “junto com você”, então as suas expectativas podem ficar frustradas. Eu passei por muitos hostels, sempre me encaixei em roteiros que outros viajantes faziam quando eu era chamado, mas também evitava passeios não tão desejados. Da mesma maneira, conheci viajantes que embarcaram comigo nos meus passeios sem pestanejar e isso foi maravilhoso. Se você é uma pessoa flexível nos seus planos, viajar sozinho vai ser um grande prazer. Quando você quiser um dia para curtir a sua própria companhia durante a viagem, você vai ter. Você fica mais livre para ter a experiência que quiser.

Viajar sozinho é bom sim. Tem pessoas que pensam que é triste, mas não é. Seria triste se você ficasse limitado e dependente de alguém para aproveitar as surpresas dos destinos dos sonhos.

Conhecendo o maior deserto de sal do mundo

Depois do vilarejo de artesanatos e lojas de sal, no passeio do maior deserto de sal do mundo, no Salar de Uyuni, o carro do tour foi se aproximando cada vez mais para dentro da região. Você começa a ver apenas o céu e a terra. A paisagem tem uma combinação natural possivelmente não vista em nenhum outro lugar do mundo. Olha as fotos:

Esse é apenas o começo do passeio…
O chão do Salar de Uyuni é puro sal
Parece que a terra está perto do céu, ou é o céu que está perto da terra?
Essa é a pequena ilha no meio do deserto recheada de cactos
Que vista é essa? Quem olha de cima da ilha de cactos tem uma pequena noção da grandeza do deserto de sal

Como foi o início do meu tour no Salar de Uyuni, na Bolívia

A Bolívia tem lugares inimagináveis para conhecer. Foi um dos países que me surpreendeu pelo tanto de beleza e história, e ainda não custa caro. O Salar de Uyuni é simplesmente o maior deserto de sal do mundo e fica na cidade de Uyuni mesmo. Existem vários pacotes de tours de 1, 2 ou 3 dias.

No seu tour para o Salar de Uyuni, não fique sem levar água, umas comidinhas, óculos de sol por causa da grande claridade e também protetor solar. Esse salar é um dos lugares mais bonitos e diferentes que eu conheci. Recomendo para você acrescentar na sua lista de destinos.

Comecei o dia com um café da boliviano. Tem quinoa no pote com tampa azul, marmelada, chá e pães.

O início do passeio é no cemitério do trens, nessa parte você ainda não tem a paisagem surreal de Uyuni.

O trem está imóvel há anos. É até diferente porque o lugar já está no meio do nada.
Não tinha muito tempo para ficar no cemitério de trens. Já fomos ver um povoado de comércio na região.
Essa é uma loja de artesanatos construída com sal. Esses blocos aí são de sal mesmo.
Monumentos feitos de sal. Nunca tinha visto nada construído com esse composto.

Indo para Uyuni – Estrada do Chile até a Bolívia

Depois que terminei a minha viagem pelo Chile, fui de San Pedro de Atacama até a cidade de Uyuni na Bolívia. O caminho pelo deserto é bem frio de manhã. Se for fazer o mesmo caminho, se agasalhe bem. Quem está em San Pedro do Atacama pode pegar um ônibus até a cidade de Calama, dormir em um hotel e de manhã pegar o ônibus para Uyuni. Eu fui direto de San Pedro, esse percurso é mais caro, mas é mais prático.

Foi o dia inteiro vendo a paisagem da estrada que leva até Uyuni. Teve paradas para o almoço, fotos em uma região de pedras enormes e uma cidadezinha que não consegui tirar foto porque estava sem bateria.

Olha só as paisagens da estrada:

Início do caminho na Bolivia para Uyuni
Só observando a paisagem pelo vidro do carro
Esse é um povoado bem remoto, onde a pick-up parou na hora do almoço
No meio do nada, diversas pedras gigantes mudam o cenário do percurso
Tava sol, mas fazia um vento bem frio. Estou com duas blusas grossas

Colônia García Ginerés, Mérida, México

O bairro García Ginerés em Mérida, no México, não é visitado por muitos estrangeiros, mas é um lugar legal para passear no fim da tarde para bater um papo ou simplesmente passear. O nome do local é Parque de las Américas. Para chegar lá, é preciso caminhar pela famosa avenida Paseo del Montejo em direção ao Wallmart e quando chegar perto de um posto turístico, virar a esquerda e seguir em frente.

Várias pessoas passeiam com os amigos e a família no fim de tarde. Só não pode esquecer o repelente.
O calor de Mérida fica menor no fim da tarde, o melhor tempo para passear na rua
O lugar tem inspiração no povo Maia. As pinturas ilustram os antepassados mexicanos
O bairro tem um visual bonito
Tranquilidade em um lugar menos conhecido por turistas e mais frequentado pelo locais

Aeroporto Aeroparque em Buenos Aires

Depois de ficar um mês na Argentina, chegou o dia em que fui para Santiago no Chile. O aeroporto Aeroparque está mais próximo do bairro de Palermo, local próximo em que eu estava hospedado em Chacarita. O Uber não demorou muito para chegar. Cheguei bem cedo, então tive tempo de conhecer o aeroporto com calma.

Eu tinha chegado tão cedo que não pude nem fazer o check-in. Só pude meia-hora antes do embarque,

O sono ainda não estava forte e nem tinha como dormir ali, então fiquei esperando o tempo passar.
O voo para Santiago no Chile teve escala em Córdoba. O primeiro avião foi de um voo nacional.
O primeiro voo saiu as 06:00. O segundo, em Córdoba, às 14:10.
Achei legal esse café em frente à área de espera para o embarque
Peguei a janela, acho que tive sorte, mas pegar a janela no segundo voo foi mais legal ainda por causa da Cordilheira dos Andes

Passeei de bicicleta no Valle de La Luna, no Chile. Dicas para o Atacama.

San Pedro de Atacama, que fica no norte do país, é um lugar imperdível para conhecer no Chile. Eu me surpreendi com tanta beleza natural que nunca tinha imaginado antes. O Valle de la Luna é um parque imperdível para conhecer. Eu tive coragem de sair de bicicleta do meu hostel e enfrentar o deserto (não tinha noção, né).

Vista do Valle de La Luna. Estou sorrindo na foto, mas suei muito para chegar até aí.
O lado bom de eu não ter feito um tour e ter ido de bicicleta foi fazer tudo sem pressa nenhuma, até porque nem tinha como ter pressa…
Poucas paisagens são como essas, ou quase nenhuma

Quem nunca foi para o deserto pode não ter noção do quão diferente é um lugar como esses. Então, se você vai viajar para lá, veja essas cincos dicas de quem já conheceu a região:

1 – Reserve sua hospedagem perto do centro

O centro do povoado de San Pedro do Atacama é a melhor região para você se hospedar. Como o lugar é um deserto, o calor e o cansaço de ter que caminhar um pouco mais não serão tão estimulantes. Tudo o que você precisa está lá no centro: mercados, restaurantes, lojas, casas de câmbio e agências de viagem. Não esqueça de levar, ou compre o seu boné ou chapéu para se proteger do sol escaldante.

2 – Não fique com dias de folga

O legal do Atacama são os diversos passeios que você pode fazer. Ficar um dia todo sem pegar um tour pode ser um desperdício de tempo e dinheiro. Planeje a sua viagem e os lugares do Atacama que você quer conhecer. O centro do povoado você consegue ver num fim de tarde ou numa manhã.

3 – Batom de cacau e hidratante

Os meus lábios estavam tão ressecados que quase começaram a rachar. O Atacama é seco. As minhas mãos ressecaram tanto que começaram a aparecer pequenas cascas entre os dedos, então seja prevenido e leve com você um batom de cacau e um hidratante para as mãos. Beber água é essencial nesse deserto.

4 – Prefira um tour

Muitas pessoas, inclusive eu, optaram bela ideia (só que não) de ir de bicicleta pelo deserto do Atacama para o Valle de La Luna. Nossa, nunca mais faço isso. A sua preparação física tem que estar muito boa e olha que na época eu praticava muita corrida. Pense que o ambiente é um deserto, se acontecer algum imprevisto vai ficar mais difícil. Faltou energia e sobrou cansaço, viu. Eu não vou me estender muito porque quero contar os detalhes do que aconteceu comigo no meu segundo e-book. O meu primeiro é esse aqui. Siga essa dica valiosa. Não vá para o Vale de La Luna pedalando…

A vista é uma coisa impressionante. Eu não recomendo que vá de bicicleta, a não ser que tenha o físico bem preparado para o tranco. Eu fui, a experiência foi exaustiva, mas tive minha recompensa 🙂
O parque tem mais de mais de dez quilômetros e começa depois de cinco quilômetros que você passa na entrada. Isso sem calcular o caminho do povoado de San Pedro até a entrada. Linda paisagem.
Essa placa no meio do Valle de la Luna, nem me lembro se segui…

5 – Passagens aéreas mais baratas

Ah, a passagem de Santiago para San Pedro não fica cara se você comprar no site da versão chilena da companhia aérea que escolher, mas a sua mala precisa ser de mão. Eu só não fui de avião porque o meu excesso de bagagem não ia compensar pelo valor total do voo. Quando você estiver no Chile, acesse a internet e busque pelas companhias aéreas de baixo custo que operam no país. Você vai achar um valor impressionantemente em conta em relação aos preços praticados no Brasil 🙂